Vai Trabalhar com Costura em PatchWork ? Escolha a Máquina Ideal !



Trabalhar com patchwork é uma tarefa simples que não possui muitos segredos. Com apenas algumas técnicas de costura, paciência e dedicação é possível desenvolver belíssimos trabalhos. Porém, para criar as peças com qualidade é necessário saber escolher a máquina de costura correta.

No mercado encontram-se disponíveis diversos modelos e marcas. Mas no meio de tanta variedade é extremamente difícil saber quais são as que oferecem os melhores recursos para o trabalho. Se esta é a sua dúvida, fique tranquila que vamos lhe ajudar.

Segundo a crafter Ana Matusita, as máquinas ideais para patchwork são a Brother CS6000i, Brother NX450Q, Singer Prêt-à-Porter e a Janome 2008. “Dá para começar com uma simples. O importante é que a máquina tenha acessórios, como pé de quilt livre e mesa extensora”, sugere.

Ana explica que as necessidades vão variar de acordo com a experiência de cada costureira. “Aconselho sempre começar com um modelo mais simples e barato e, conforme a necessidade surgir, basta adaptar a máquina ou trocá-la por um modelo que seja mais sofisticado”.

maquina-ideal-para-patchwork-artesanato
Singer Prêt-à-Porter/Janome 2008 Foto: Divulgação

Para quem acabou de comprar uma máquina de costura, a crafter afirma que o primeiro passo a se realizar é ler o manual de instruções para entender como é o funcionamento da mesma. Em casos de danos ela recomenda: “Estabeleça contato com um único técnico nos casos em que a assistência técnica não seja da mesma cidade.”



Já para as iniciantes na arte da costura, Matusita indica: “A maioria das máquinas de patchwork tem grande variedade de pontos decorativos. Por isso, comece com projetos simples, usando cores neutras na composição e com formas geométricas básicas, sem muitos recortes”.

Os modelos vintage também são recomendáveis para a costura de patchwork. “Além de serem lindas, a regulagem e manutenção são mais fáceis”, diz Ana. “A vantagem das mais antigas é que elas têm apenas o ponto reto, sem nenhuma variação. Isso faz com que o ponto nunca se desalinhe e mantenha-se sempre do mesmo tamanho” complementa.

A linha e a agulha também influenciam no bom manuseio da máquina. “As agulhas devem ser da mesma marca da máquina e as linhas sempre de boa qualidade para que não rompam com facilidade e não soltem muitos fiapos dentro das engrenagens da mesma”, recomenda Ana.


Para garantir o bom funcionamento dos aparelhos mantenha-as sempre lubrificadas com óleo apropriado. Nem pense em colocar óleo de cozinha, pois com o tempo ele vira uma graxa que trava e endurece os mecanismos da mesma.

De acordo com Ana, a lubrificação é diferente para máquinas antigas e novas. “Nas antigas recomendava-se pingar óleo de máquina. Já nas novas é recomendável realizar a manutenção na assistência técnica de seis em seis meses. O próprio técnico faz a lubrificação e uma limpeza mais profunda”, descreveu

Fonte: vilamulher.com.br